Peças simples mas de alto uso na indústria

Quem pensa no setor industrial logo o conecta a procedimentos e maquinários extremamente complexos, empregados para transformar matérias-primas em mercadorias prontas para serem vendidas a outras empresas e ao consumidor final.

Por mais que, em alguns casos, técnicas e itens de alta complexidade realmente sejam necessários, esse nem sempre é o caso.

Muitas vezes, soluções pequenas e de funcionamento relativamente simples são extremamente úteis na melhora de processos industriais.

Confira alguns deles a seguir:

Cabo de cobre

Praticamente todos os metais da tabela periódica têm uma característica em comum: são bons condutores de eletricidade.

Entretanto, alguns deles se destacam por serem condutores especialmente, por não oferecerem grande obstáculos à passagem dos elétrons.

Este é o caso do cobre. Por conta disso, ele é o material de escolha dos profissionais em uma série de projetos que envolvem eletricidade.

Normalmente, ele é empregado sob a forma do cabo de cobre, feito de fios que conduzem os elétrons ao longo do circuito.

Assim, ele faz parte do rol de itens simples, mas de grande utilidade no contexto industrial.

Não apenas os cabos estão presentes nas instalações da edificação onde fica a indústria, como, também, são instalados dentro dos próprios equipamentos, distribuindo a energia necessária a seu funcionamento.

Por mais simples que este item pareça, é preciso ter em mente que ele está disponível em diversos modelos.

Ele pode assumir a forma de um cabo flexivel, por exemplo, ou de um modelo mais rígido. Cada um tem as suas características – e, consequentemente, são adequados para usos distintos.

Independentemente disso, é sempre interessante preferir os modelos revestidos com PVC – ou qualquer outro polímero plástico.

Como estes materiais não conduzem eletricidade, servem de proteção contra acidentes envolvendo choques elétricos.

Abraçadeira

No entanto, nem só de energia vive a indústria: em muitos casos, também é preciso que a fábrica conte com um sistema de distribuição de fluidos, sejam eles líquidos ou gasosos.

Isso, por sua vez, é feito com um sistema de tubos bem elaborado, com o auxílio de mangueiras.

Entretanto, as características dos tubos e mangueiras de distribuição significam que eles por si só, não são suficientes para tal.

No caso destas últimas, isso é especialmente verdade: como elas são flexíveis, tendem a se mover e sair do lugar devido à pressão do líquido que passa por elas.

A boa notícia é que há uma peça extremamente simples, mas capaz de resolver isso: a abraçadeira união horizontal.

Feita de metal, sua função é envolver a mangueira, mantendo-a no lugar certo enquanto for usada.

Elas, porém, não são os únicos itens que precisam de acessórios para funcionarem corretamente, este também é o caso dos tubos.

Como eles, por si só, não são dotados de mecanismos de conexão para que fiquem unidos às estruturas nas quais devem ficar apoiados, é preciso contar com uma abraçadeira para tal.

Trata-se de uma peça, feita do mesmo material que a tubulação, que funciona como uma espécie de gancho, mantendo-a no lugar.

Assim, ela permite a continuidade do fluxo de fluidos industriais, sejam eles líquidos ou gasosos.

Parafusos

Indústrias que produzem equipamentos – como a industrial e a naval -, bem com a construção civil, muitas vezes têm a necessidade de conectar duas peças rígidas e volumosas, de modo a estruturar a máquina ou construção sobre a qual aquele projeto se trata.

Poucas pessoas imaginam que, quando essa necessidade surge, é um item pequeno e leve que se responsabiliza por manter todos os componentes da estrutura conectados: o parafuso.

Por mais que essa peça seja simples e dispense apresentações, nem todos sabem que ele está disponível nos mais diversos modelos. Entre eles, estão:

  • Parafusos sextavados;

  • Parafusos para madeira;

  • Parafusos auto atarraxantes;

  • Parafusos para plásticos;

  • Parafusos rosca máquina;

  • Parafusos franceses.

Cada um deles tem pequenas diferenças estruturais em relação aos outros, o que os torna apropriados para diferentes usos e situações.

Vale ressaltar que jamais se deve usar parafusos projetados para um fim em outras aplicações: um modelo elaborado para fixar partes de madeira, por exemplo, não terá bom desempenho no plástico e no metal.

No caso de projetos de grande porte, como maquinário pesado e construção civil, isso pode causar uma tragédia.

Em parques industriais Brasil afora, um dos modelos mais usados é o parafuso sextavado flangeado.

Seu formato diferenciado torna sua fixação muito maior, fazendo com que ele esteja presente em automóveis e até em máquinas fabris.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *