Peças com alto índice de uso em automação

Veja alguns equipamentos muito usados em automação, para garantir segurança e eficiência nos processos automáticos.

Nos processos industriais de hoje, boa parte são realizados por automação. Antes de adentrar mais no assunto das peças comumente usadas nesse processo, vale contextualizar um pouco sobre o que é a automação.

Bom, após a revolução industrial no séc XVIII, o ofício do trabalho deixou de ser realizado majoritariamente no campo e por mãos de artesãos.

Com o surgimento das primeiras máquinas a vapor, as fábricas se tornaram o grande foco de produtividade. A revolução das máquinas trouxe maior produtividade e ganho de tempo.

Por outro lado, no começo da era das fábricas, o contingente de trabalho para os proletários ainda era muito alto. Apesar das modernas máquinas – para a época – ainda eram necessários diversos trabalhos manuais e repetitivos, que eram realizados por trabalhadores que tinham uma carga horária bem alta; algo que variava entre 12 e 16 horas.

Após anos de evolução tecnológica, chegamos à contemporaneidade com máquinas cada vez mais modernas, projetadas para realizar funções em tempo recorde, com o mínimo de esforço humano possível e que também propicie aos trabalhadores a devida segurança.

Pois bem, daí temos o processo de automação. Ele é um sistema automático de controle e desempenho, onde os mecanismos verificam o próprio funcionamento, efetuando medições e correções, sem a necessidade da manipulação direta do homem.

Sendo assim, confira mais sobre peças muito utilizadas no setor de automação.

 

Mão de obra e tecnologia

 

Antes executada comumente por mão de obra humana, a tecnologia da automação veio para executar com precisão determinados serviços e garantir uma maior produtividade, com menores custos.

O processo de automação está presente em múltiplas atividades. Como:

  • Residencial;

  • Sinalização de trânsito;

  • Edifícios comerciais;

  • Processos de compra;

  • Processos industriais e etc.

Disjuntores Industriais

Essencial em qualquer instalação elétrica, é responsável por garantir a segurança dos circuitos, dos equipamentos e de quem, frequentemente, utiliza esse espaço.

Ele funciona de forma simples: ao detectar um curto-circuito, ele desarma e desativa a distribuição de energia no sistema elétrico.

Usados em residências e comércios, é ainda mais necessário o uso de aparelhos disjuntores adequados em fábricas e indústrias, visto que lá, existem em operação grandes maquinários que funcionam, às vezes, 24 horas por dia.

Os Disjuntores Industriais tem uma diferença básica para aqueles que utilizamos em nossas residências: a sua capacidade.

Ela precisa ser compatível com a instalação do local, e, além disso, será necessário um número maior a ser instalado.

Por exemplo, numa casa comum ligamos a geladeira, a televisão, o chuveiro.

Numa fábrica ou indústria, precisaremos colocar pra funcionar grandes equipamentos, que necessitarão de muito mais energia para seu funcionamento.

Para isso, deve-se consultar os devidos profissionais para que os disjuntores certos sejam devidamente instalados.

Existem dois tipos diferentes deles: o disjuntor unipolar e o disjuntor multipolar.

O unipolar tem apenas uma fase, como em circuitos de sistemas de iluminação ou instalações monofásicas de 127V e 220V.

 O disjuntor bipolar ou tripolar, funcionam em duas fases e três fases, respectivamente.

Dentre diferentes tipos e modelos existentes para cada tipo de maquinário e/ou atuação, consulte o profissional adequado para lhe indicar o tipo de equipamento que você precisa.

Relé de proteção

Basicamente são interruptores eletromecânicos que trabalham sob o funcionamento elétrico.

Eles têm a função de criar campos magnéticos para mudar o estado dos contatos. Ou seja, mudam o estado para ligar ou desligar dispositivos.

O Relé de proteção é o dispositivo responsável por medir grandezas de tensão, corrente, isolamento, temperatura, frequência, sequência de fase, entre outras.

Os relés fazem parâmetros de segurança que são disparados pela emissão de alertas automáticos, monitoram diversas grandezas e desenvolvem redes de proteção a partir do desempenho da atividade que estão monitorando.

Tem diversas funções como:

  • Exibição de valores;

  • Emissão de alertas;

  • Armazenamento de informação

  • Conversão de saídas e etc;

A utilização dos relés de proteção variam conforme a necessidade de cada pessoa, tendo módulos de monitoramento confiáveis e de correntes variadas para cada tipo de material eletrico.

Servomotor

servomotor é um material eletromecânico, que apresenta resposta proporcional a um determinado comando.

Ele recebe a informação de um controle e verifica a posição atual para controlar o seu movimento indo para a posição desejada com a velocidade monitorada.

Em comparação com motores que giram indefinidamente, o eixo do servo tem a autonomia de apenas cerca de 180°, em alguns casos 360°, que são precisos quanto a sua posição.

É constituído de três partes fundamentais: o sistema atuador, composto por um motor elétrico; o sensor, que é um potenciômetro solidário ao eixo do servo; e por fim os circuitos de controle.

Enfim, os sistemas de automação são importantes aliados na linha de produção. Oferecem segurança, agilidade e economia de mão de obra.

Lembre-se de sempre consultar um especialista para dar os devidos direcionamentos para a instalação e manutenção dos itens citados no texto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *