Como os medidores de temperatura são fabricados?

Desde o momento que alguém mede nossa febre com as mãos, percebemos que é possível sentir o calor e o frio de outra pessoa, por meio de sua temperatura.

O mesmo aconteceu com a criação do medidor de temperatura. Medidores estes, que promovem resultados que são decisivos para atitudes médicas.

Atitudes de resfriamento ou aquecimento de tal ambiente e até mesmo, de saber com que roupa sair de casa. A medição da pressão é fundamentalmente importante no setor da indústria.

O manômetro de bourdon, é o instrumento mais comumente aplicado para medição da temperatura e é um advento inserido há anos no ramo industrial.

A sua patente original é datada em 1852 e o seu nome – Bourdon – refere-se ao sobrenome do seu registrador. Sendo essencial em diversas funções.

Os medidores de temperatura devem estar concentrados em locais de bom armazenamento e sem umidade, pois qualquer diferente temperatura pode acarretar em problemas de medição.

É necessário realizar checagens diárias nos medidores para conferir a sua precisão

O funcionamento deste tipo de manômetros, é baseado em sua estrutura, que contém uma alteração da curvatura do tubo de secção elíptica, pela pressão exercida no seu interior.

Isso age para que possa haver a medição da temperatura. Quando a aumento da pressão interna do tubo da secção elíptica, esta secção inclina-se para uma secção circular.

Partindo do princípio de que a estrutura externa do medidor de pressão está ligada à pressão atmosférica, o medidor torna-se relativo ao estar sujeito às interferências externas.

O manômetro de Bourdon tem como principais vantagens o seu baixo custo, além de outros benefícios adquiridos através do uso do manômetro.

Além da facilidade econômica, esse manômetro possui elevada longevidade e, por isso, é um instrumento muito utilizado na indústria.

Os manómetros em espiral e em hélice permitem, relativamente aos manómetros com o tubo em C, uma maior amplitude de movimentos permitindo também uma maior rapidez de resposta.

Quais são os tipos de termômetros?

O mercado está cheio de tipos de termômetros, inclusive os modelos termopar j que podem estar em todos os locais farmacêuticos e cheios de diferentes valores.

Por vezes, já nos deparamos com equipamentos denominados termopar J, que são dispositivo constituído, em geral, por dois fios metálicos diferentes, soldados nas extremidades.

Que, quando submetidos a temperaturas diferentes, estabelecem uma força eletromotriz. Quais os tipos de termômetros? Existem diversos tipos de termopares, dentre eles:

  • O termopar tipo K: é um termopar de uso genérico. Ele tem um baixo custo e, devido à sua popularidade, estão disponíveis nas mais variadas sondas. Os termopares K são capazes de cobrir a medição de uma grande faixa de temperatura – entre -200 e 1200 °C;
  • Termopar tipo E: é um instrumento prioritariamente utilizado em temperaturas mais baixas devido ao seu nível elevado de sensibilidade;
  • Termopar J: a sua faixa limitada, de -40 a 750 °C é a responsável pela sua menor popularidade em relação ao termopar tipo K. Aplica-se, sobretudo, com equipamento mais antigo, que não é compatível com termopares mais ‘modernos’. Este instrumento não pode, de forma alguma, ser utilizado acima dos 760ºC. Isso se deve a alteração magnética causada por esta temperatura, além de estragar os parâmetros de calibração;
  • Termopar tipo N: é um instrumento altamente recomendado para utilização em medições de temperaturas elevadas. Isso é possível, por esse termopar apresentar características de alto nível de estabilidade e por ser resistente à desgastes corrosivos e à oxidação nesse tipo de temperatura. Foi desenhado para ser uma “evolução” do termopar K;
  • Termopares tipo B, R e S: são tipificados em conjunto por apresentarem características semelhantes. Apesar desses termopares apresentarem o maior nível de estabilidade dentre os modelos, eles devem ser utilizados somente em medições para temperaturas mais elevadas que 300ºC. É notável que devido à reduzida sensibilidade destes termopares, a sua resolução de medida é também reduzida. Estes termopares são adequados para medições de temperaturas até 1800 °C;
  • Termopar tipo R: adequado para medição de temperaturas até 1600 °C. Reduzida sensibilidade (10 µV/°C) e custo elevado;
  • Termopar tipo S: esse instrumento de medição é adequado para realizar o procedimento em temperaturas de até 1600 °C. Apresenta características como, por exemplo, nível baixo de sensibilidade, é altamente estável e apresenta um alto custo no mercado;
  • Termopar tipo T: É dos termopares mais indicados para medições na faixa de temperatura de -270°C a 400°C.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *