Maquinários importantes para controlar a energia

Manter um sistema de equipamentos ligados à eletricidade só é possível com o uso de maquinários que fazem o controle da energia.

O desempenho do que é gasto e consumido pode ser obtido, por exemplo, por meio de um produto chamado de analisador de energia.

O equipamento é utilizado por prestadores de serviço que são especializados em controlar a energia residencial e comercial, e promove um controle acerca da qualidade da energia elétrica no local, além de manter a tensão adequada.

O principal diferencial é a capacidade de monitorar os mais diferentes parâmetros de energia elétrica, fazendo a medição da intensidade e da qualidade do abastecimento, podendo indicar, eventualmente, quando há algum tipo de irregularidade que possa ameaçar o fornecimento no sistema e, ao mesmo tempo, apontar solução para o problema indicado.

O analisador de energia monitora, por exemplo, o consumo ativo, ou seja, a quantidade de quilowatt consumida por hora, o consumo reativo, os quilovolts-Amperes-Reativos (kVAr), a potência ativa em quilowatts, bem como a potência reativa, a corrente elétrica, em Amperes, a tensão, em Volts, a frequência, em Hertz e harmônicas.

Todos estes aspectos podem ser monitorados por longos períodos, de forma a se possibilitar a análise precisa sobre como se dá o consumo de energia elétrica no local.

O analisador não só compila os dados e indica a necessidade de fazer algum tipo de ajuste para que alguma falha seja sanada, como também a corrige e controla o que está de forma irregular.

Estes equipamentos são, normalmente, compactos para que haja a movimentação destes em diferentes localizações dentro da casa, comércio, unidade hospitalar ou qualquer outro estabelecimento.

Por meio deles, é possível, também, medir a distorção harmônica provocada por cagas eletrônicas. Alguns equipamentos podem ser locados, como a locação de transformadores.

Junto com estes itens, podem ser utilizadas outras ferramentas, como softwares que são elaborados de acordo com o local em que está instalado, gerando relatórios específicos para cada equipamento alimentado pelo sistema de energia, além de conjuntos de identificação por cores, cabos, pinças e outros itens que podem ser usados para refinar os resultados da análise.

O controle de energia, por este ou outros tipos de maquinários, melhora o desempenho energético de um lugar, além de poder, inclusive, diminuir os custos de energia elétrica.

Características de um cubículo de média tensão

O cubículo de média tensão, popularmente conhecido como cabine elétrica, é um equipamento que possui a função de armazenar componentes disjuntores e sistemas eletrônicos de energia, muito utilizados por segmentos industriais e da construção civil.

Suas principais características são:

  • Confecção e fabricação de acordo com as normas técnicas e especificações de regulamentação;
  • É um equipamento destinado para aplicações em subestações de distribuição de propriedade do consumidor;
  • Ele gera uma economia de até 30% no valor final da fatura;
  • Conta com um dispositivo de intertravamento mecânico, com chave seccionadora e um disjuntor geral;
  • Possui componentes medidores de tensão;
  • Disponível em modelos de alvenaria, convencional blindada, blindada simplificada compacta e alvenaria simplificada.

Geradores de energia

Dentro das ferramentas de utilização de energia elétrica estão os geradores. O gerador de energia convertem energia mecânica em elétrica.

Para tal função existem quatro tipos diferentes: o gerador de corrente contínua, o gerador de indução, o gerador síncrono e os motores elétricos.

A diferença entre eles se baseia nas voltagens e tensões diferentes. Eles devem ser escolhidos de acordo com o objetivo pretendido e o local em que será utilizado.

O gerador de corrente contínua, também conhecido como dínamo, é uma máquina que converte energia mecânica em elétrica por meio de elementos como o núcleo ferromagnético, que abriga a peça chamada de enrolamento de armadura.

Por sua vez, o enrolamento possui espiras que são ligadas ao coletor. O movimento giratório faz com que uma tensão seja induzida e, por meio do eixo, esta transmite a potência mecânica externa ao rotor, gerando energia elétrica.

Já o gerador de indução, diferentemente do anterior, não existe campo magnético no rotor. Ou seja, o campo magnético deve ser gerado por meio de uma corrente de indução no rotor, criada por meio do estator. Quando o estator é energizado que se induz a corrente, e cria-se um campo magnético.

À medida em que os eletroímãs são energizados, por meio da imposição do desalinhamento, o trabalho mecânico está sendo realizado e, consequentemente, a eletromecânica é convertida em energia.

Além disto, temos o gerador síncrono que consiste em gerar energia elétrica por meio da excitação de fluxo no rotor. Por ser uma máquina elétrica rotativa, converte a energia mecânica em forma de rotação.

Diferente do gerador de indução, o gerador síncrono funciona à base de um princípio condutor que é submetido a um campo magnético variável. Desta forma é que gera-se a tensão elétrica.

Por último, temos os motores elétricos, que talvez sejam os mais utilizados. Eles funcionam por meio da interação entre campos eletromagnéticos ou eletromecânicos.

Basicamente operam de forma em que uma força mecânica no fio conduz a corrente elétrica em um campo magnético, fazendo com que o equipamento funcione. A fonte de alimentação preço pode variar conforme o fornecedor escolhido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *