Dicas para o uso do compressor

Com os avanços na tecnologia industrial, há cada vez mais opções de aparatos para facilitar a execução e o uso na atividades do setor.

Uma das escolhas possíveis é o uso de equipamentos hidráulicos, que têm o movimento e a aplicação de força facilitados por meio do uso de água ou de outros fluidos líquidos.

Apesar da eficiência, tais máquinas têm um problema: o risco de vazamentos está sempre presente.

A boa notícia é que quem precisa realizar atividades que envolvem a aplicação de muita força é que há uma alternativa: as máquinas pneumáticas.

A diferença é que, ao invés de usar fluidos líquidos, há a presença de ar comprimido, que ajuda com a movimentação e a força de seus componentes internos.

Por sua vez, para que ele funcione, é preciso contar com um aparato em específico: um compressor de ar. Aprenda mais a respeito dele e confira algumas dicas para usá-lo a seguir:

Escolha um compressor de uma boa marca

O primeiro passo para ter uma boa experiência com um equipamento produzido por uma boa marca, que tenha uma boa reputação no mercado.

Do contrário, as chances de que haja mais problemas com defeitos e perdas de produtividade são muito altas.

Portanto, apesar de isso normalmente exigir um investimento extra, o valor a mais costuma valer a pena.

A boa notícia é que há uma série de fabricantes que produzem equipamentos de qualidade, como os compressores Bitzer.

Assim, garante-se que a máquina funcionará de maneira mais eficiente por mais tempo, exigindo menos manutenção.

Entretanto, é preciso ter em mente que há muitas pessoas mal intencionadas que vendem modelos adulterados, ou, até mesmo, com defeitos ocultos.

Assim, recomenda-se fazer a aquisição diretamente com o fabricante, ou, ao menos, com um fornecedor autorizado – nesse caso, da Bitzer.

Conte com peças de qualidade

Apesar de todos os compressores serem projetados para durarem o máximo de tempo possível, é natural que, com o tempo, seus componentes se desgastem, o que, por sua vez, acarreta em um defeito.

Quando esse momento chegar e for necessário investir em uma substituição, é essencial que a troca realizada seja por uma peça de qualidade.

Também vale ressaltar que, assim como no caso das compras de componentes inteiros, é preciso ter em mente que há pessoas vendendo componentes usados como se fossem novos.

Da mesma forma, existem supostos revendedores que comercializem peças adulteradas, comprometendo as máquinas onde eles forem instalados.

Por conta disso, ao comprar peças para compressor, é recomendado preferir o próprio fabricante da máquina, ou, ao menos distribuidores autorizados.

O mesmo cuidado também vale para os acessórios necessários ao usar o equipamento, tais como:

  • Mangueiras e tubos;

  • Ferramentas pneumáticas;

  • Pistolas;

  • Acessórios de limpeza.

Por mais que essas precauções costumem exigir um investimento extra do proprietário do equipamento, ele se justifica ao evitar problemas que podem exigir reparos demorados e caros, como o superaquecimento.

Verifique a necessidade de purificar o ar

O ar comprimido nem sempre é usado apenas para mover máquinas pneumáticas: esse recurso tem muitos outros usos nos mais diversos segmentos econômicos.

Um bom exemplo disso são os estabelecimentos de saúde, que comprimem os gases de uso terapêutico para facilitar o seu transporte e armazenamento.

Isso, contudo, traz uma particularidade: é essencial que o ar seja tão puro quanto possível.

Do contrário, pode haver um tipo de contaminação que prejudique a saúde do paciente, prejudicando a eficácia do seu tratamento.

Por esse motivo, é fundamental que um compressor de ar comprimido hospitalar tenha um purificador em seu interior, que evite a presença de partículas indesejadas no ar.

Porém, também é preciso ter em mente que esse é apenas um exemplo: é fundamental fazer uma análise caso a caso para saber se será necessário purificar o ar.

Realize manutenções periódicas no compressor

Por último, mas não menos importante, é essencial realizar manutenções periódicas em sua máquina.

O motivo por trás disso é o fato de que, em alguns casos, há a possibilidade de que surja um defeito silencioso, que só se torna aparente quando passa a inviabilizar o funcionamento do compressor.

Felizmente, isso é evitável: uma vistoria periódica de seus componentes fundamentais, como a unidade condensadora. Deste modo, garante-se que a máquina funcionará sempre do modo adequado quando for necessária.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *