Conhecendo melhor sobre a indústria farmacêutica

As industrias farmaceuticas possuem uma grande importância no mercado, movimentando uma quantidade significativa de capital. A cadeia farmacêutica fabrica diversas substâncias químicas farmacologicamente ativas, sempre com o objetivo de obter um medicamento.

Essas substâncias podem ter origem animal, vegetal ou biotecnológica (feitas em laboratório). Neste artigo, você vai conferir mais detalhes sobre essa indústria e sua importância no contexto nacional e internacional.

Como funciona

Dentre todos os segmentos, a industria de medicamentos é certamente a que mais investe tempo e dinheiro em pesquisa e testes. Muitos medicamentos são estudado e testados por anos antes de finalmente serem distribuídos ao público geral.

O setor de pesquisa e desenvolvimento dessas indústrias é mais importante que a linha de produção dos medicamentos em si e é a área que mais recebe investimentos, geralmente.

É importante observar, porém, que a cadeia farmacêutica é muito mais complexa do que aparenta ser. Existem muitas especialidades farmacêuticas, tanto alopáticas quanto homeopáticas.

As alopáticas são da medicina tradicional, utilizando remédios contrários aos sintomas. Já as homeopáticas fazem o movimento contrário, diluindo em pequenas doses substâncias que causariam os mesmos sintomas da doença em grandes quantidades.

Considerando essas duas categorias, uma indústria farmacêutica produz:

  • Medicamentos sistêmicos específicos;
  • Agentes hematológicos;
  • Medicamentos dermatológicos;
  • Medicamentos anti-infecciosos;
  • Hormônios sintéticos;
  • Soluções hospitalares, soros.

Assim, as empresas farmaceuticas não trabalham apenas com medicamentos, mas com uma série de outros produtos ligados à área da saúde. A maior parte das fábricas do gênero acabam se especializando em um dos segmentos dentro da cadeia farmacêutica.

Atualmente, o setor industrial farmacêutico é formado por algo em torno de 369 empresas, das quais 83% são de capital nacional. É um mercado pulverizado, sem monopólios.

Nenhuma empresa detém mais que 8% do mercado. A maior parte dessas empresas está concentrada na região sudeste do país, especialmente em São Paulo.

Entretanto, o Brasil apresenta uma necessidade de crescimento da indústria farmoquímica. Muitos dos laboratórios farmacêuticos utilizam insumos e substâncias importadas ao invés de optar pelas produzidas internamente por essa indústria.

Os laboratórios farmacêuticos

Os laboratórios farmaceuticos são responsáveis pela pesquisa e desenvolvimento de produtos. Com um trabalho diário em busca de novas soluções para patologias e realizando testes, procurando outras alternativas, esses profissionais são responsáveis por grande parte do avanço da medicina, de certa forma.

Sempre que um laboratório faz uma descoberta, ele a patenteia. Isso significa que ele reserva os direitos sobre aquela descoberta para si, sendo a única empresa apta a comercializá-la. Entretanto, a patente possui um prazo para deixar de ser válida, permitindo que outras empresas comercializem o produto.

No Brasil, existe sempre uma dualidade entre os medicamentos originais e os genéricos, só feitos depois do vencimento. As pessoas tendem a pensar que os genéricos tem menor qualidade e dão preferência aos medicamentos de referência, com marca. Mas trata-se de um mito.

Os efeitos dos remédios são os mesmos, a Anvisa garante sua eficácia antes de liberar a venda. A única diferença está em características mais supérfluas, como o gosto, o cheiro, a cor e o formato.

Os materiais de laboratorio são específicos para cada aplicação e a lei determina que eles precisam ser sempre esterilizados e devidamente guardados.

Geralmente, são feitos de vidro e existem em uma variedade impressionante. Alguns são simples recipientes, como o balão e o erlenmeyer.

Outros são instrumentos de medição, como a balança de precisão, por exemplo. Outros equipamentos possuem uso mais específico, como os microscópios, utilizados para ver substâncias de ângulos variados e com uma proximidade não comum para capacidade natural dos olhos, chegando até mesmo a enxergar seus átomos.

O fato é que todo material de laboratório possui regras rígidas de manipulação e de manutenção. O profissional da área de farmácia precisa ser muito disciplinado e atencioso, prestando atenção aos detalhes.

Muitos dos equipamentos precisam ser calibrados regularmente e devem ficar longe de qualquer corrente de ar ou vibração.

No passado, o segundo material mais comum para esse tipo de material era a madeira, mas com o tempo passou a se preferir o aço inoxidável ou outros metais, por serem mais higiênicos.

Em conclusão, a indústria farmacêutica é de grande importância e diz muito sobre o poder intelectual de um país. Mais do que apenas produzir medicamentos, ela pode produzir soros, hormônios e outras substâncias.

No Brasil, existe a necessidade de incentivar mais a indústria farmacêutica de base, pois muitos dos laboratórios preferem importar os seus insumos e matéria-prima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *