Conheça o funcionamento de misturadores e outros aparelhos da indústria

Os misturadores são ferramentas essenciais no universo industrial. Por isso, entender seu funcionamento é muito importante, pois assim, conseguir optar pela melhor escolha para uma obra ou construção, ou até mesmo uma fábrica, ficará simples.

Ainda mais, há diversos tipos de agitadores industriais – ou misturadores, como também são conhecidos. Confira uma lista dos principais:

  • Moinhos;
  • Misturadores de fita;
  • Misturadores nauta;
  • Misturadores duplo braço;
  • Misturadores de dispersão;
  • Misturador hidráulicos.

Mesmo assim, os mais utilizados nos dias de hoje são os voltados para misturas de materiais para obras.

Quais os tipos de misturador?

O misturador de argamassa, por exemplo, é uma ferramenta necessária em qualquer construção de médio/grande porte.

Isso se deve pelo fato de ele ser capaz de misturar os componentes de uma argamassa – cimento, cal, água, produtos químicos, etc., – com uma velocidade muito maior do que um ser humano, além de aguentar uma quantidade maior do produto e, pelo seu giro dinâmico, reduzir tempo e homogeneizar a mistura, tornando-a ótima qualidade.

Ainda mais, vale lembrar que há modelos fixos e móveis, sendo o segundo caso menos comum, mas que, com o avanço da tecnologia, está tomando espaço entre os trabalhadores, pelo fato de ser menor, ocupar menos espaço e, com sua pá de alta estabilidade, produzir uma mistura de qualidade.

Ademais, há também o misturador vertical, o qual é mais aproveitado pelas indústrias de grãos e rações, e também serve para misturar líquidos e afins.

Pelo seu tamanho considerável, este leva uma escada ao lado, e seu “corpo” consiste num grande funil de aço inox – ou outro material resistente –, onde, no topo, são colocados os produtos e, dentro dele, ocorre a mistura e/ou moagem, para que, ao afunilar na base onde há uma rede de proteção, o material final seja alocado e o trabalhador possa retirá-lo.

É, contudo, importante lembrar o seguinte: mesmo sendo citado acima como usado preferencialmente pela indústria “alimentícia”, ele também serve no caso das argamassas, de produtos químicos, petroquímicos, etc.

Também pode ser aquecido com correntes de ar ou óleos térmicos, caso seja necessário e o modelo aguente tal aquecimento, pois para isso, é recomendado que o misturador seja feito de inox.

Por fim, na parte das torneiras, um item mais comum e acessível pelo fato de ser utilizado em qualquer casa, há a opção do misturador monocomando e a do bicomando.

A primeira contém apenas um eixo que se move para esquerda e direita, e tem como objetivo abrir ou fechar a torneira para o fluxo de água; e a segunda é dotada de dois eixos, onde um serve para água quente e outro para água fria.

Adiante, além de ter um bom misturador, para indústrias mais específicas um vaso separador é essencial.

O que é um vaso separador?

Esse item, responsável por, no geral, separar água, óleo e gás – mas também podendo separar outros produtos –, é fundamental em processos industriais onde não pode haver uma mistura de tais componentes.

Vasos separadores – podem ser verticais ou horizontais e, também, bifásicos ou trifásicos – são feitos de materiais resistentes, como aço inox, ferro ou cobre, e podem suportar altas temperaturas.

Além disso, seu preço varia de acordo com o tamanho, a composição e a função. Há, também, os vasos de pressão, sendo esses utilizados durante todo o processo, e não somente durante uma etapa.

Ademais, vale ressaltar que eles precisam de uma revisão constante, sendo comum ocorrerem falhas e, pior ainda, o material interno ser prejudicado quando não revistos nem lavados.

Podem, também, ser usados para ar comprimido, cumprindo a função de estabilizar o ar de um compressor.

Já no caso de outro componente muito importante, o tanque de inox, a função pode variar.
Ele é usado para lavar, preparar e armazenar a matéria-prima, sendo disposto, geralmente, nos entremeios do processo industrial.

Isso se deve, pois quando na armazenagem, por exemplo, fica colocado entre diversas etapas que precisam de um controle de quantidade, checagem de qualidade, etc., para haver uma segurança maior sobre o que foi feito ali e, por fim, se aprovada a situação, poder ser levado à próxima parte da fábrica.

Agora, na parte da lavagem, geralmente é disposto no começo, logo quando a matéria-prima chega na fábrica, para que possa ser encaminhada para os próximos passos com a certeza de estar em bom estado.

Por fim, todos esses itens, desde um misturador de liquidos industrial até os acessórios mais simples, são cruciais em qualquer tipo de estabelecimento que seja focado em construção, produtos químicos, alimentícios, etc., pois compõem parte necessária do processo de qualidade e sem eles não seria possível a produção de diversas mercadorias que nos cercam nas gôndolas e vendas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *