Conheça mais sobre os depósitos de areia e pedra

Tanto no caso do depósito de pedra, quanto no de areia, é importante abordar que, como qualquer outro setor do mercado, se deve priorizar a qualidade do produto e praticidade para extração e transporte.

Comumente, a comercialização ocorre por sacos ou por caminhões e independentemente do modelo escolhido, é fundamental que o empreendedor disponha dos recursos necessários para oferecer a solução buscada pelos clientes.

É válido observar que quando se fala de material construção, areia e brita são dois recursos muito procurados, principalmente para o preparo de concreto.

No caso da areia, é importante citar que existe grande diversidade e as opções se dividem essencialmente em finas, médias e grossas.

Ao procurar por depósito de areia, é preciso considerar que a grossura desse item tem interferência direta no tipo de aplicação.

A areia fina, por exemplo, comumente é misturada com opções mais grossas para promover uma melhor distribuição dos grãos, enquanto a média é recomendada para o preparo de argamassa aplicada em estruturas com tijolos.

As alternativas mais grossas são ideais para compor o concreto que será aplicado como sustentação de colunas e lajes.

A areia pode ser obtida por meio de fontes industriais ou naturais e, neste contexto, é interessante citar a diferença entre areia lavada e a usinada.

A lavada é obtida por meio de equipamentos de sucção em leitos em que, posteriormente, a água é removida por meio de bombas e o material sólido que corresponde a areia e impurezas é retirado e peneirado.

Após ser lavada, a areia é direcionada para o comércio e também separada de acordo com a granulação.

A areia usinada, também chamada de areia de brita, é gerada pela fragmentação mecânica das rochas, ou seja, processo de britagem.

Uma grande vantagem desse método é que sua produção não tem impacto adicionais relacionados ao meio ambiente devido ao fato de que é um subproduto.

Já no caso da brita, que corresponde a pedra, comumente seu uso conta com a areia na mistura e/outros materiais para que se possa fazer o concreto.

Entre os tipos que podem ser encontrados, é possível citar algumas de suas principais aplicações:

  • Pó de brita: ideal para concretos de fina textura;
  • Pedrisco ou n°0: recomendada para produção de blocos e lajes;
  • Brita n°1: usada para confecção do concreto de colunas;
  • Brita n°2: utilização restrita a pisos de alta espessura;
  • Brita n°3: aplicada para nivelamento de linhas de ferrovias.

Acertar no material é indispensável, pois conforme pode ser observado, as finalidades podem ser muito distintas.

Por esse motivo, na dúvida é sempre válido recorrer a profissionais qualificados para obter suporte.

O uso de rodízios

Ao falar de rodizio schioppa, é interessante abordar que esse tipo de acessório é empregado em diversos setores, pois conta com rodinhas acopladas e são instalados embaixo de determinados itens para viabilizar a movimentação, como em carrinhos de carga e móveis.

Existe uma grande diversidade de rodízios, principalmente em relação aos materiais e, neste contexto, é indispensável escolher com cautela.

Entre os elementos que devem ser observados para garantir um bom desempenho deste item, é possível citar o tipo de carga que será transportada, velocidade do equipamento e condições do piso.

A carga é um dos principais pontos, pois tem grande impacto no revestimento da roda devido ao peso.

O tipo de material pode influenciar na velocidade e ser direcionado para superfícies irregulares ou regulares.

No caso de materiais de construção, pode ser favorável analisar as opções disponibilizadas para superfícies irregulares e cargas mais pesadas, principalmente para evitar acidentes e o comprometimento dos meios de movimentação de tais itens.

As vantagens do carrinho de carga

O carrinho de carga é imprescindível para auxiliar no transporte de objetos variados e, por esse motivo, é empregado em muitos setores, como em galpões, estoques e indústrias.

É um equipamento que viabiliza o transporte de grandes quantidades de objetos de forma mais ágil e prática. No entanto, é preciso escolher o modelo mais adequado para o tipo de carga a ser transportada.

Entre os modelos que podem ser encontrados, estão o carrinho de armazém e o dobrável.

O de armazém se destaca por acondicionar diversos produtos, inclusive cargas pesadas e apresentar um deslocamento suave. Isso se deve ao fato de que esse modelo conta com uma estrutura com direcionamento vertical.

Já o dobrável, conforme o próprio nome indica, pode ser dobrado e, por esse motivo, apresenta maior praticidade para o manuseio e para o armazenamento.

Além das questões apresentadas, é importante citar que a escolha errada pode comprometer o carrinho, causando danos em sua estrutura como nos pontos de solda e nas rodas.

Para evitar tal condição, também é interessante respeitar a carga máxima de cada equipamento. É uma opção que pode ser muito útil para os depósitos, assim como nas construções, por viabilizar um transporte mais ágil, mas assim como todos os itens apresentados ao longo do texto, é fundamental prezar pela qualidade e seleção correta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *