Como o mundo digital tem expandido a automação industrial?

Tanto o setor digital, quanto a automação industrial, representam áreas com potencial direcionado aos avanços tecnológicos. Neste cenário, é interessante observar a consolidação do alinhamento entre ambos setores, principalmente com o estabelecimento de novos padrões de produtividade e de demandas atendidas.

É possível encontrar aspectos desse alinhamento em diferentes setores, como no monitoramento, ferramentas de computação, para produção, entre outras possibilidades. Com a indústria digital, o processo operacional passa a ter ganhos palpáveis, principalmente, por favorecer processos mais ágeis em grande escala sem sobrecarregar os colaboradores.

O que são redes industriais?

As redes industriais consistem em uma maneira de automação baseada em protocolos de comunicação. Esses protocolos são aplicados para o gerenciamento de processos e supervisão. Isso ocorre por meio de uma troca veloz de dados entre sensores, atuadores, computadores, entre outros itens.

No geral, quando se fala em redes industriais, a rede industrial modbus é amplamente citada, principalmente por ser considerada uma das mais antigas no que diz respeito ao mercado mundial. A rede Modbus refere-se a um protocolo de comunicação em uma camada de aplicação.

Tal rede possibilita a comunicação entre cliente e servidor, por meio de determinados equipamentos de automação conectados em tipos distintos de redes ou barramentos.

Trata-se de um protocolo versátil e, por essa razão, diferentes equipamentos podem usar o modbus para dar início à uma operação remota.  No geral, a mesma comunicação pode ser efetuada usando linhas seriais em uma rede padrão com protocolo TCP/IP.

Neste cenário, é interessante destacar que a rede industrial ethernet se consolidou ao longo dos anos como um padrão para a comunicação entre os computadores. Tal rede delineou um cenário abrangente de projetos, atualizações, pesquisas e otimizações de diversas vertentes.

Esse campo estabelece o meio físico de conexão de cabeamento, do controle de acesso de dados, definição de quadro de informações, entre outros aspectos que pertencem às técnicas de padrões de rede.

De qualquer forma, outros benefícios podem ser apresentados, tais como:

  • Rede padronizada por normas que evoluem constantemente;
  • Pode ser empregada em diferentes ambientes;
  • Rede simples para projetar;
  • Possibilita vários protocolos dentro do padrão.

A automatização de portas e portões

A princípio, os modelos de porta de enrolar consistiam apenas na forma manual.

Atualmente, é interessante que se pode observar como as portas de enrolar automatizada proporcionam maior praticidade e precisão na forma de controle. Afinal, a praticidade é um dos fatores que são potencializados quando se fala em automação.

Além disso, quando se trata da composição desse item é possível citar diferentes materiais que o compõem.

No caso da folha da porta, pode-se destacar que ela é, comumente, de aço galvanizado. Já suas lâminas de espessuras podem variar e o acabamento pode ser em pintura eletrostática, com possibilidade de escolha entre diferentes cores.

O eixo, por sua vez, é confeccionado em aço carbono e pode ter espessuras e dimensões variadas.

O automatizador, que corresponde ao elemento responsável por tornar a porta de enrolar elétrica, também faz parte da sua composição. Geralmente, seu comando pe feito por meio de um controle ou botoeira.

Por fim, há uma soleira. Esse item consiste em uma chapa de arremate com capacidade de atingir o chão. Sua principal funcionalidade é a proteção contra arrombamentos.

Esse modelo de porta é ideal para indústrias, lojas e residências. Isso porque, ela apresenta vantagens como um sistema automatizado, possibilitando maior ventilação, luminosidade e a visibilidade mais segura do ambiente externo.

O portão automático também é um produto escolhido para os empreendimentos e as residências, sendo encontrado em materiais diferenciados como o alumínio, o ferro e a madeira. A escolha do material tem impacto em diferentes fatores como a estética, durabilidade e potência necessária do motor.

As opções de ferro, por serem mais pesadas, exigem uma potência maior, enquanto a de alumínio não exige tanto esforço do motor.

Outra característica que pode ser escolhida e adequada às necessidades da indústria são os estilos de portão que podem ser fechados ou vazados. Contudo, nesse caso é preciso ter cautela com a privacidade e segurança do local.

Conforme pode ser visto, as portas, portões e redes são exemplos de como a tecnologia contribui com a potencialização da automação, pois dessa forma, uma ampla gama de opções é explorada e diversos processos podem ser aprimorados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *