Como são feitos os produtos em aço?

O aço é conhecido por ser uma das principais ligas metálicas usadas na indústria – isso se não for tida como a mais popular entre todas.

Durável, com bom desempenho termoacústico e resistente, até mesmo, às condições de funcionamento mais extremas, esta matéria-prima atende às principais necessidades que os projetistas estabelecem para componentes industriais, desde a chapa de inox até produtos comumente usados em laboratórios e cozinhas industriais.

Contudo, para que a fabricação deste item seja possível, é preciso fazer com que ele passe por alguns processos industriais, com o objetivo de fazer com que ele assuma certas características e propriedades. Assim, é preciso analisar cada caso para decidir qual é o melhor método.

Não sabe por onde começar? Então continue lendo e confira alguns métodos para fabricar produtos em aço e decida qual é o melhor:

  1. Fundição

Uma característica comum a todos os metais, desde o aço 4140 até o ouro, é que eles assumem o estado líquido quando são expostos a altas temperaturas, um processo chamado fundição.

Como quando eles assumem esta condição eles se tornam muito mais fáceis de serem manipulados, trata-se de um dos principais métodos para a fabricação de componentes metálicos, bem como um dos mais simples.

O primeiro passo é derreter o os metais que comporão a liga. No caso do aço, são eles:

  • Ferro;

  • Manganês;

  • Carbono;

  • Níquel, no caso do aço inoxidável.

Quando todos estão fundidos, chega o momento de mesclá-los conforme a composição demandada pelo projeto.

Em seguida, a mistura é colocada em um recipiente que funciona como molde, fazendo com que ela se solidifique e assuma o formato pretendido.

O processo, entretanto, não se encerra aí: normalmente, é preciso fazer pequenas correções na peça finalizada, bem como retirar excessos de material de algumas de suas regiões. Felizmente, isso é simples, e pode ser feito por meio do torneamento.

  1. Extrusão

A fundição básica, entretanto, nem sempre é suficiente para fabricar certos tipos de peças. É o caso da cantoneira de ferro, por exemplo: seu formato particular, bem como sua pequena espessura, exigem um método de produção diferenciado, que seja mais eficiente.

Para casos como este, há a extrusão. Ela pode ser resumida como uma espécie de fundição sob pressão: a massa derretida é colocada em um molde sob alta pressão, fazendo com que o produto acabado tenha uma espessura reduzida.

Por conta disso, ela é muito empregada na produção de itens como tubos, perfis e chapas metálicas.

Vale ressaltar que, assim como a fundição, a extrusão por si só não costuma ser o suficiente para que a peça esteja acabada.

Em boa parte dos casos, pode ser necessário realizar procedimentos complementares a ela, como o torneamento.

Da mesma forma, é importante considerar que há outros subtipos de extrusão que podem ser empregados. Um deles é a eletrostática – que, como o próprio nome diz, usa correntes elétricas para tornar o processo mais ágil.

  1. Corte a laser

Em alguns casos, não é preciso manipular o aço fundido para mesclá-lo com outros metais ou para alterar as suas propriedades: só é necessário cortá-lo ou mesmo produzir vincos em sua superfície, de modo a atender às especificidades do projeto.

Nestes casos, o melhor procedimento a se usar é o corte laser. Como o próprio nome diz, trata-se de um processo realizado com a ajuda de uma máquina que emite um feixe desta luz, cuja intensidade e trajetória podem ser controlados por um profissional devidamente treinado para operá-la.

Assim, é possível fazer desde pequenas gravações na superfície até procedimentos mais complexos, tal como o corte de chapas de aço.

Contudo, é preciso ter em mente que tanto a aquisição da máquina quanto a mão de obra necessária para operá-la têm um custo. Portanto, a operação deve ser bem planejada, de modo a evitar prejuízos financeiros.

  1. Reciclagem

Em meio aos debates e à conscientização crescente a respeito da sustentabilidade, empresas que adotam práticas ecológicas tendem a se destacar frente às que não o fazem. Assim, cada vez mais negócios buscam adaptar suas práticas a esta realidade.

A boa notícia é que o aço é um excelente material para tal: ele é totalmente reciclável. Basta fundi-lo e aplicá-lo em novos moldes, seja pela fundição regular ou pela extrusão, para que ele ganhe uma nova vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *