A galvanização e o crescimento da indústria siderúrgica

A indústria do ferro e do aço é um setor fundamental na economia de qualquer país. No Brasil das últimas décadas esse segmento tem crescido bastante, segundo algumas pesquisas o seu crescimento ainda deve atingir a casa dos 30%.

A motivação principal desse aquecimento se encontra no consumo de empresas dos setores automobilísticos, agrícolas e de frentes de reposição e transformação de peças e partes.

De fato, não é difícil compreender que uma chapa de aço seja fundamental a uma infinidade quase inabarcável de segmentos e nichos.

Assim, a indústria do aço e do ferro costuma abastecer os seguintes ramos de produção:

  • A indústria petrolífera;
  • A indústria armamentista;
  • A indústria naval/aeronáutica.
  • A engenharia/construção civil;
  • A indústria automobilística;
  • A indústria de transportes;
  • A indústria agrícola.

Para que serve a indústria siderúrgica?

Conforme sobredito, uma simples chapa de ferro ou de aço pode ser aplicada em um sem fim de fabricações.

O ferro em todas as suas formas (ferro fundido, aço preparado, metal laminado, etc.) é o material de construção mais utilizado na moderna economia global. Ele mantém o primeiro lugar em termos de matéria-prima, à frente ainda da madeira, e ganha do cimento em importância.

Aliás, de todos os setores supracitados, é preciso mencionar que nas últimas décadas nenhuma outra área consumiu mais ferro e aço do que a engenharia civil, que aplica materiais ferrosos como nenhuma outra.

Por isso mesmo os países em desenvolvimento têm um nível elevadíssimo de consumo de aço.

A indústria siderúrgica nasceu da necessidade de metais mais fortes e mais facilmente produzidos. Embora exista desde o começo da história no Egito, os avanços tecnológicos ocorridos durante a última metade do século XIX desempenharam um papel fundamental na criação de economias modernas, especialmente no que diz respeito a:

  • Navios e automóveis;
  • Vigas e estruturas gerais;
  • Edificações e pontes;
  • Trilhos e ferrovias.

O exemplo dos tubos galvanizados

Dentro da indústria do ferro e do aço, uma das buscas mais recorrentes da atualidade diz respeito ao tubo de aço galvanizado preço e suas demais características.

Isso tem várias razões de ser, a principal delas é a variedade de aplicações e as vantagens oferecidas por esse tipo de material.

Tubos galvanizados são tubos de aço que foram mergulhados em um revestimento protetor de zinco, cuja liga tem como principal função o poder de evitar a ação corrosiva da ferrugem e da oxidação em geral.

O que ocorre é que o aquecimento por indução liga o revestimento de zinco ao núcleo de aço, criando assim o que na área se chama liga de zinco-ferro.

Após todo esse trabalho, a superfície exterior do tubo de aço galvanizado deve consistir em três revestimentos complementares: um revestimento de zinco que é isento de chumbo, outro revestimento de conversão para inibir a ferrugem superficial, e um revestimento de polímero orgânico que atua como uma barreira final aos efeitos da corrosão ocasionada pelas intempéries da natureza.

O que é a galvanização e por que fazê-la?

A galvanização pode ser aplicada em vários itens de ferro e aço, desde chapas e tubos até uma simples barra redonda de aço.

Conforme sobredito, ela é um dos métodos mais utilizados para proteger o metal da corrosão. A camada de zinco que protege o metal do ambiente circundante pode ser encontrada, por exemplo, em todos os postes e sinais de rua.

Sem a galvanização esse tipo de material, feito para ficar exposto à ação corrosiva do sol e da chuva, seria totalmente impensável.

Com isso, muitas das estruturas, edificações e fabricações que permeiam nosso dia a dia não poderiam existir. Ao menos não da maneira como as conhecemos e desfrutamos hoje.

Além disso, o aço galvanizado é uma excelente alternativa econômica ao uso de materiais muito mais caros e difíceis de produzir ou encontrar, tal como o aço inoxidável austenítico, ou o próprio alumínio, que atingem as mesmas propriedades do metal comum galvanizado, mas são muito mais custosos para qualquer tipo de projeto.

Finalmente, hoje já se fala até em eletrogalvanização, cujo método dispensa o zinco fundido: em vez disso, utiliza-se uma corrente elétrica em uma solução eletrolítica para transferir íons de zinco para o metal base.

Essa solução é ainda mais econômica e acessível e ilustra bem a importância da galvanização nos dias atuais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *